KTR Campos do Jordão 21k
FranHaydin

Nas subidas nascem os Campeões

Meus Resultados: KTR Campos do Jordão 21k

Pode parecer repetitivo, mas as provas da KTR - Kailash Trail Run são conhecidas como uma das mais DURAS Corridas de Montanha do Brasil e a cada KTR que participo reforça isso!

Campos do Jordão recebeu quase 550 corredores de montanha para a Kailash Trail Run no último sábado dia 22 de Abril. A entrega dos KITs e Congresso Técnico aconteceram na sexta no hotel São Cristóvão que fica próximo ao portal da cidade, onde recebemos informações sobre a prova. Uma novidade esse ano foi o Congresso Técnico Online (Briefing) com o Diretor da Prova Rafael Campos, que aconteceu às 20 horas da 5ª feira dia 20/4, através do Live do Facebook. Ficou postado na página no Facebook da KTR no mesmo dia!

Esse ano as provas da KTR valem pontos para o UTMB® Qualifying Racing 2017 - Ultra Trail du Mont Blanc. O que era BOM, ficou ainda MELHOR. As provas agora valem pontos para o maior evento mundial de corrida em montanha, uma ultramaratona de montanha que acontece anualmente nos alpes, atravessando França, Itália e Suíça. Para poder se inscrever nas provas da UTMB é necessária a seguinte pontuação:

  • OCC (Orsières-Champex-Chamonix) 56km e 3.500m de altitude: 4 pontos | máximo 2 provas
  • CCC (Courmayeur-Champex-Chamonix) 101km e 6.100m de altitude): 8 pontos | máximo 2 provas
  • TDS (Sur les Traces des Ducs de Savoie) 119km e 7.200m de altitude: 8 pontos | máximo 2 provas
  • UTMB (Ultra-Trail du Mont-Blanc) 171km e 10.000m de altitude: 15 pontos | máximo 3 provas

A pontuação é gerida pela ITRA - International Trail Running Association. A prova de Campos do Jordão pontuou conforme abaixo:

  • Longa (42km): 3 pontos
  • Média (21km): 1 pontos

Por conta dessa novidade no circuito KTR, o Congresso Técnico começou com um bate-papo com a Elite do Trail Running Nacional falando da experiência de cada um nas provas do UTMB® e abrindo espaço para perguntas. Entre os atletas tínhamos: José Virginio de Moraes, Chico Santos, Ernani Souza, Ivan Pires, Iazaldir Feitoza...

Ao chegar na Arena da prova a vista é espetacular, a largada/chegada de prova mais bonita que já vi. A arena de largada da prova foi no Pico do Itapeva, a 1820m de altitude. A vista da largada é de tirar o fôlego: seria uma Corrida de Montanha SOBRE AS NUVENS. Foram três as distâncias na prova: 42km, 21km e 12km, cada uma com horários distintos. No percurso médio, 21km, distância que corri, a altimetria chegou a 1.500 metros de ganho acumulado, com descidas e SINGLE-TRACK bem técnicas e subida bastante íngreme.

A KTR agora pontua para o UTMB® Qualifying Racing 2017

As provas da KTR são de autossuficiência, não é fornecido água ou alimentação durante o percurso e são exigidos equipamentos de segurança: apito, cobertor de emergência, lixinho de trilha, gorro ou buff tipo ecohead ou protetor de orelha, celular, mochila ou cinto de hidratação e reservatório de água com no mínimo 1 litro.

CORRIDA INSANA

Hora de correr SOBRE ÀS NUVENS uma das CORRIDAS mais INSANAS do Trail Running Nacional. Bem posicionado na largada, ouvimos as últimas considerações do Rafael Campos, Diretor da prova, e concentrei para os segundos finais da largada. Olho ao redor e só tem corredor bom, alguns já são amigos conquistados em treinos especiais e provas. Esse ano o sentido da largada mudou, deixando mais seguro, o que garantiu uma largada mais ritmada, pois não descia como no ano passado.

Mas vamos falar de estratégia antes, pois a corrida de montanha não é só sair correndo, temos que analisar muitos fatores: tempo, altimetria, terreno, distâncias das descidas e subidas e foi nesse ponto que a prova era sinistra... ela tinha trechos bem técnicos de subidas e descidas leves até o km 8 e aí começava uma descida insana de uns 5 km e Paahhh A SUBIDA, que acabou com a prova de muito atleta bom... e foi justamente essa a estratégia passada pelo meu Coach José Virginio de Morais, correr bem até o final da descida, mas sem forçar, pois até o final da descida estaríamos no km 16 e teria 5km de subida muito íngreme. A estratégia era chegar com pernas para fazer uma boa subida, e ele reforçava para não apertar tudo até lá, para não faltar pra subir.

Vamos lá então, voltando a largada, estratégia alinhada e GO! Fiz minha corrida, minha estratégia, preocupado sim com a classificação durante a prova, estava entre os 10, mas fazendo a minha prova e com isso alguns atletas foram passando, cheguei a ficar em 17ª mas segui com a estratégia. A descida longa era muito técnica e mesmo sem forçar ou arriscar cheguei a passar alguns atletas... até que cheguei no início da subida HARD e ali realmente começou a minha prova, eu tinha guardado perna para esse momento... 3 a 4km de subida com um ganho de altimetria de 1.000m... INSANA, ali vale de tudo, bambu para ajudar como se fosse um bastão, mão e cotovelos em troncos, quatro apoio, enfim... mesmo guardando as pernas para aquele momento as minhas coxas davam sinais de que a qualquer momento poderiam ter câimbras, mas seguia firme e na passada constante.

Lembram da estratégia, então, começou a dar sinais, comecei a passar atletas que nem em sonho achava que um dia estaria à frente, alguns amigos, outros só conhecia de vista e lá foram ficando para trás e seguia firme e na passada constante, entramos em um SINGLE-TRACK de descida bem escorregadia e técnico e em um escorregão a câimbra veio com tudo e ali fiquei sentado por uns 40 segundos, dor muito forte e perna esquerda travada... respira, concentra, e segue com pisadas controladas, mas sempre constante... sou passado por uns 3 atletas, esses que já havia passado na subida... um deles, Julio Cesar Do Nascimento viu minha dor da câimbra e perguntou se eu tinha Gel de Carbo, havia comentado que tinha acabado e ele ofereceu um, ETERNA GRADITÃO - OBRIGADO, aceitei, tomei e segui, nesse momento estávamos na última hidratação natural do percurso, perdi uns 30 segundos lá molhando a cabeça e tacando agua nas pernas para aliviar as dores... desse ponto em diante não tinha mais descida, e volto no meu firme com passada constante, nesse momento ajudando muito com as mãos no joelho, fazendo apoio, passei novamente eles e outros que vi pela frente, inclusive passei por atletas do percurso longo que naquele momento já estavam com o tempo de corte estourado.

As câimbras deram um tempo, acertei a passada e segui até a chegada, com 20,43km de corrida em 3h16m... dentro do TOP 10 na prova, na exata posição 9ª GERAL e 3ª da Categoria 40-49 anos. Essa prova pra mim foi sinistra, insana e como todas as KTR testado. Por incrível que pareça, por mais preparando que estejamos para momentos como esse, sempre seremos testados por se tratar de KTR.

Agradeço aos meus treinadores José Virginio de Morais Atleta Elite em Corrida de Montanha / Diretor Técnico da JVM Trail Run e o Cassiano Assis criador do método SEI (Sistema Eficaz Integrado) em treino Funcional. Ao meu Nutricionista Esportivo Flávio Sant’Anna. A CamelBak, optei em levar minha mochila FlashFlo LR, excelente para esse tipo de distância, onde utilizo o equipamento na cintura e não sobrecarrega os ombros. A DL.ONE Agência de Marketing Digital, responsável pela comunicação digital do atleta.

Conheça meus Parceiros, Marcas que acreditam e somam a cada desafio. #juntossomosmaisfortes

Parabéns para a KTR e todos seus organizadores, diretores, equipe técnica, equipe de segurança, stafs, equipe médica, patrocinadores, atletas, enfim, uma prova de alto nível, completa em todos os sentidos: informativos prévios, congresso técnico, entrega de kits, fotografia, premiação, percurso, nível dos atletas - PARABÉNS!!!

#eucorroktr #nevergiveup

Meus Resultados: KTR Campos do Jordão 21k

Veja Também
Sorte no Azar
Nas subidas nascem os Campeões
Playground Radical
Training Camp com Mantiqueira Trail Running